Por que e como escolher um bom fundo de investimentos

Dentre tantas opções de investimento, talvez a que mais deixe dúvidas seja a de fundo de investimentos, e não é à toa, pois existiam mais de 20 mil fundos em março de 2020, com as características mais variadas possíveis.

Saber escolher um bom fundo de investimento é não somente uma forma de obter melhores retornos com seu dinheiro, mas também de se conhecer como investidor e economizar o seu próprio tempo.

Neste conteúdo, vamos te ajudar a entender como este veículo de investimento funciona, seus principais pontos de atenção e como escolher algum que combine com suas expectativas.

O que são e principais características

Fundos podem ser mais facilmente entendidos como veículos de investimento, pois eles não são o destino final do dinheiro, mas sim entidades que fazem para você a compra de ativos financeiros, que podem variar com o tipo e a estratégia do fundo.

Todos os fundos possuem um (ou mais) gestor(es), que é quem faz a escolha de qual ativo será adquirido, sempre seguindo as políticas de estratégias, que são divulgadas no regulamento do fundo.

Quando você coloca dinheiro em algum fundo, ele é convertido em cotas, que nada mais são do que “fatias” de todo o patrimônio que representam o valor que você investiu.

O retorno é representado pelo aumento do valor da cota, e quando você retira o dinheiro, você terá retornos positivos se a cota do fundo estiver valendo mais.

Fazendo uma analogia, poderíamos dizer que ao investir em um fundo, você coloca seu dinheiro em um ônibus (fundo) no qual o motorista (gestor) levará seu dinheiro para vários destinos (ativos financeiros) que já foram combinados no planejamento da viagem (regulamento).

Porque é bom investir em fundos

Investir em fundos é uma ótima opção principalmente (mas não somente) para o pequeno investidor e para quem não gosta muito de estudar investimentos ou não tem o tempo nem para estudar nem para fazer acompanhamentos periódicos.

  • Nos fundos, devido à contabilização de cotas, os investidores são detentores de pequenas parcelas de todo o patrimônio do fundo.

    E, como eles reúnem o dinheiro de muitas pessoas, possuem muitos milhões de reais, que são divididos entre vários ativos. Dessa forma, se o fundo tiver ativos de 100 empresas diferentes, você terá uma parcela dos ativos de cada uma dessas 100 empresas.

    Origem do cadastro:
    *|HTML:ORIGEMERROR|*
    Receba nossos conteúdos mais recentes em primeira mão!
    *|HTML:EMAILERROR|*

    Sendo assim, mesmo que você tenha uma quantia pequena, você estará diversificando bastante o seu capital, o que não seria possível se você estivesse investindo sozinho.

  • Além da diversificação, você deixará seu dinheiro nas mãos dos gestores, cujo trabalho é estudar e acompanhar os investimentos, ou seja, eles passam praticamente 100% do tempo pensando em entender e elaborar as melhores estratégias para o seu dinheiro.

    Você conseguiria ter essa dedicação apenas se trabalhasse com isso, ou se já tivesse dinheiro suficiente para não trabalhar mais, não?

  • Por último, na maioria dos casos, os gestores são remunerados como uma porcentagem do resultado que eles geram, o que não é um modelo perfeito, mas é um ótimo incentivo para que ele faça um bom trabalho.

O que devo saber para escolher um bom fundo de investimento?

Não poupe esforços na escolha do fundo que mais combina com você, porque uma má escolha pode custar tanto rendimentos inconsistentes quanto dores de cabeça pela incompatibilidade do perfil.

Aqui vão os 4 passos para uma boa escolha:

1) Encontre um fundo com mesmos objetivos que você: risco, prazo e valor investido

Para isso, entenda a política de investimento do fundo, que estará detalhada no regulamento. Lá você encontrará qual o risco dos ativos que o fundo investirá, bem como o estilo de prazo que o fundo busca para obter retornos consistentes.

Se quiser entender qual o risco de investimento que você está procurando, temos um conteúdo sobre como escolher um investimento considerando risco, e este outro para a escolha de um prazo para seus investimentos.

Atente-se também à: (i) data de cotização de aplicação: quantos dias serão necessários para o seu dinheiro ser convertido em cotas (para entrar no fundo e começar a render), (ii) data de cotização de resgate: dias para as cotas serem convertidas em dinheiro (para sair) e (iii) data de liquidação: depois das cotas serem convertidas em dinheiro, quando este será depositado em sua conta.

E por fim, existem valores mínimos para você poder acessar os fundos, variando entre de 100 à milhares de reais, bem como valores mínimos de movimentação, seja para aumentar a participação no fundo ou reduzir, e ainda o mínimo obrigatório para permanecer nele, caso queira retirar apenas uma parte do seu capital.

Origem do cadastro:
*|HTML:ORIGEMERROR|*
Receba nossos conteúdos mais recentes em primeira mão!
*|HTML:EMAILERROR|*

2) Analise o histórico de rentabilidade e compare com fundos semelhantes

Não basta ter uma boa proposta, é necessário entender o desempenho em momentos de estresse e entender se o comportamento está em linha com o esperado nesses períodos pela abordagem do fundo.

A comparação com os semelhantes ajuda a entender os movimentos do mercado, mas algumas diferenças sutis são naturais pelas diferentes escolhas de ativos entre eles.

Importante destacar que existem diferentes tributações para o rendimento dos fundos, que variam entre (i) isenção de tributação, (ii) tributação de renda variável – 15% independente do prazo, com exceção dos imobiliários cuja tributação é sempre 20% (iii) tributação regressiva com come-cotas – dependendo do tempo investido poderá incidir 22,5%, 20%, 17,5% e 15%, sempre incidindo os 15% do come-cotas em novembro e maio todos os anos.

Compare os custos entre os fundos que apresentam propostas semelhantes

Se você identificou mais de um fundo que possuem a mesma abordagem, entenda o que cada um deles cobra de taxas de administração e performance (e de entrada e saída, caso aplicável).

Aqui o objetivo é não pagar mais caro por um mesmo serviço, da mesma forma que se um mercado vende uma garrafa de água por 20 reais, e outro por 3 reais, você provavelmente optará por comprar no mais barato.

A taxa de administração será cobrada todos os anos invariavelmente, enquanto a de performance será cobrada apenas se o resultado do fundo for muito bom, superior a uma meta (benchmark) preestabelecida no regulamento.

Conheça o gestor do fundo, assistindo a lives que ele participa, pelas redes sociais, cartas aos investidores, vídeos no Youtube, etc.

Além de entender os objetivos do fundo, você consegue entender o que o gestor pensa sobre o futuro econômico do país, quais setores está observando oportunidades, quais empresas está focando sua atenção, filosofia de investimento e diligência.

Isso é importante porque são informações que mostram com mais detalhes por quais caminhos seu dinheiro irá trilhar, e assim te dar mais certeza (ou não) de que está fazendo uma boa escolha.

Conclusão

Os fundos de investimento estavam presentes em apenas 4% dos investimentos dos brasileiros em 2018, segundo a ANBIMA.

Esta pequena participação é motivada pelo desconhecimento de todos os benefícios e facilidades de acesso a este veículo de investimento.

Com o conhecimento de como escolher um bom fundo, faça seu dinheiro trabalhar para você e tenha resultados de verdade compatíveis com seus objetivos, expectativas e realidade tanto a curto quanto a longo prazo.

Se precisar de qualquer ajuda na escolha de um fundo de investimento, pode deixar suas dúvidas abaixo que entraremos em contato para te ajudar!

Conte com o Poupador Inteligente para aprimorar seus conhecimentos sobre o mundo dos investimentos!

Origem do cadastro:
*|HTML:ORIGEMERROR|*
Receba nossos conteúdos mais recentes em primeira mão!
*|HTML:EMAILERROR|*
Rafael Corrêa Publicado em Julho de 2020
Ficou com alguma dúvida quanto ao conteúdo ou gostaria de fazer algum comentário? Sinta-se livre para deixa-lo(a) abaixo!

Continue lendo

Se gostou desse conteúdo, com certeza também gostará destes:

Maio, 2020 Como funciona a poupança e porquê não vale a pena

A poupança é o investimento favorito dos brasileiros. Porém, se a conhecem de verdade, ela jamais seria a principal escolha.

Junho, 2020 Tudo sobre o FGC: como ele protege meu dinheiro?

Aprenda tudo o que você precisa saber sobre o FGC e como poder contar com a garantia nos seus investimentos.

Maio, 2020 Boas práticas de investimentos contra crises

Apesar de imprevisíveis, existem práticas de investimento que amparam nossos investimentos em qualquer dificuldade.

Maio, 2020 Como funciona a poupança e porquê não vale a pena

A poupança é o investimento favorito dos brasileiros. Porém, se a conhecem de verdade, ela jamais seria a principal escolha.

Junho, 2020 Tudo sobre o FGC: como ele protege meu dinheiro?

Aprenda tudo o que você precisa saber sobre o FGC e como poder contar com a garantia nos seus investimentos.

Maio, 2020 Boas práticas de investimentos contra crises

Apesar de imprevisíveis, existem práticas de investimento que amparam nossos investimentos em qualquer dificuldade.