Investimentos e tributações: Renda Variável

Não é incomum visualizarmos o saldo bancário e perceber que o valor investido está cada vez maior, mas vale lembrar que nem tudo aquilo é de fato nosso.

Previamente ao resgate do rendimento dos investimentos, o valor provavelmente ainda sofrerá os descontos da tributação (ou seja, os impostos), antes de estar 100% nas nossas mãos.

Somente conhecendo o imposto de cada investimento poderemos mapear quanto, de fato, algum investimento poderá apresentar de retorno, o que abre a possibilidade de escolher a opção mais vantajosa.

Para continuar a nossa série de conteúdos sobre os detalhes de tributação dos investimentos, vamos falar agora sobre renda variável.

Vale ressaltar que, caso tenha entrado diretamente neste artigo, ele faz parte de uma sequência de temas que vão te ajudar a entender as tributações de todos os investimentos. Dessa forma, será possível fazer comparações entre eles e tomar melhores decisões para seu bolso.

A primeira parte desta série detalha as alíquotas para os investimentos de renda fixa, com destaque para a tabela de tributação de longo prazo e como comparar investimentos com alíquotas diferentes.

Já a segunda explica a tributação dos fundos de investimentos, com destaque para o come-cotas e escolha de opções de tributações para fundos previdenciários.

Caso não domine esses conceitos, recomendamos que retorne para esses assuntos acima para ter proveito completo desta série.

Renda Variável

Diferentemente de todos os outros investimentos, que possuem retenção do imposto na fonte, para a renda variável é necessária atenção redobrada pois você mesmo deve controlar, fazer os cálculos e pagar os tributos incorridos.

O investidor pode realizar quantas operações desejar durante um mês completo e, se tiver obtido lucro, deverá pagar as tributações no mês seguinte, com base no lucro obtido no mês corrente completo.

Como exemplo, se ocorreu lucro com operações em julho, será necessário realizar o pagamento de impostos até o último dia de agosto.

O pagamento destes impostos deve ser realizado a partir da geração de um DARF (Documento de Arrecadação de Receitas Federais) e independe de se tratar de uma operação de day trade (compra e venda no mesmo dia) ou swing trade (compra e venda em dias distintos).

Os impostos são cobrados somente sobre o lucro das operações, e as alíquotas (percentuais) variam de acordo com o ativo e com o tipo de operação (day trade ou swing trade).

Origem do cadastro:
*|HTML:ORIGEMERROR|*
Receba nossos conteúdos mais recentes em primeira mão!
*|HTML:EMAILERROR|*

Ações

Nas ações, a alíquota de imposto sobre o lucro obtido é de 20% no day trade, independentemente do valor negociado, enquanto para o swing trade, a tributação é de 15%.

Existe um incentivo para o swing trade de ações: no caso de negociações de até 20 mil reais dentro de um mesmo mês, há isenção de impostos.

Neste caso, independente do lucro obtido: se as vendas de ações não ultrapassarem o valor de 20 mil reais dentro do mesmo mês, não é necessário o pagamento dos 15% de tributação.

Uma dica, inclusive, é sempre tentar não exceder esse valor, para que seja possível a maximização dos ganhos.

Fundos imobiliários

Diferentemente das ações, os investimentos de fundos imobiliários têm apenas uma alíquota: 20% sobre o lucro, tanto no day trade, quanto no swing trade.

Por isso, não é necessário se preocupar com um limite no valor negociado, uma vez que ambos os tipos têm a mesma taxa e não contam com incentivos.

Opções e Mercado Futuro

Assim como no caso dos fundos imobiliários, as negociações de opções e de mercado futuro seguem regras mais simples.

A alíquota, nesse caso, será de 20% para o day trade e 15% para o swing trade sobre todo o lucro obtido, independentemente do valor negociado.

Conclusão

A escolha de um investimento nem sempre é uma tarefa fácil, uma vez que são várias as características a serem analisadas.

Por isso, é sempre muito importante se atentar não apenas à rentabilidade e ao tempo durante o qual seu dinheiro será aplicado, mas também aos tipos de tributação envolvidos.

Deste modo, cabe sempre refletir acerca das diferentes alíquotas e sobre como os variados tipos de negociação, seja day trade ou swing trade, podem ajudar na sua decisão.

Se tiver alguma dúvida sobre o assunto ou precisar de ajuda na escolha de investimentos, comente abaixo que entraremos em contato para te ajudar.

Conte com o Poupador Inteligente para aprimorar seus conhecimentos sobre o mundo dos investimentos!

Compartilhe este conteúdo com seus amigos e não se esqueça de se inscrever na nossa Newsletter para receber novos assuntos em primeira mão.

Origem do cadastro:
*|HTML:ORIGEMERROR|*
Receba nossos conteúdos mais recentes em primeira mão!
*|HTML:EMAILERROR|*
Rafael Corrêa
Giovanna Oliveira
Publicado em Setembro de 2020
Ficou com alguma dúvida quanto ao conteúdo ou gostaria de fazer algum comentário? Sinta-se livre para deixa-lo(a) abaixo!

Continue lendo

Se gostou desse conteúdo, com certeza também gostará destes:

Setembro, 2020 Tudo sobre BDRs e suas novas regras

Saiba o que você precisa para acessar este investimento e diversificar em ativos internacionais sem esforços!

Maio, 2020 Rentabilidade real: o efeito do tempo nos investimentos

Entenda como o tempo afeta seus resultados e aprimore seu planejamento de longo prazo.

Maio, 2020 Como escolher um investimento – parte 3: valor

Saiba qual investimento é o mais adequado para você! Neste texto, descubra o "valor mínimo" para acessar cada investimento.

Setembro, 2020 Tudo sobre BDRs e suas novas regras

Saiba o que você precisa para acessar este investimento e diversificar em ativos internacionais sem esforços!

Maio, 2020 Rentabilidade real: o efeito do tempo nos investimentos

Entenda como o tempo afeta seus resultados e aprimore seu planejamento de longo prazo.

Maio, 2020 Como escolher um investimento – parte 3: valor

Saiba qual investimento é o mais adequado para você! Neste texto, descubra o "valor mínimo" para acessar cada investimento.