ESG: sim, é possível investir com responsabilidade social e ambiental

Em linha com uma das maiores discussões sobre a relação entre o planeta e as pessoas e a forma como isso tem se tornado cada vez mais presente no nosso cotidiano, por que então não levar isso em consideração também na hora de investir?

Pois bem, investir, como uma opção de garantir um futuro financeiro mais estável, já é um ato inteligente. Agora, pode se tornar ainda mais benéfico quando o investimento visa também as melhores práticas no que diz respeito à preservação do meio ambiente e a dias melhores para as próximas gerações.

O caminho para isso tem três letras: ESG, uma tendência de práticas corporativas e de investimentos que levam em conta a questão da sustentabilidade na alocação dos recursos.

Se você percebe a importância da sustentabilidade e quer incluir isso no seu dia a dia de poupador inteligente, chegou a hora de entender o impacto e as transformações que o pensamento ESG está trazendo ao mundo dos investimentos.

O que é ESG

Antes de mais nada, é importante deixar claro que ESG, apesar de também ser uma sigla, não é um investimento propriamente dito. Suas letras se referem a uma série de práticas para o desenvolvimento sustentável.

A sigla ESG em inglês significa Environmental, Social and Governance. O termo pode ser traduzido, ao pé da letra, em português, para: Ambiental, Social e Governança.

Basicamente, o investidor que busca ativos ESG procura empresas bem classificadas nos três pilares da sigla: responsabilidade ambiental, cuidado social e governança corporativa. Estes princípios são usados no mercado financeiro para definir se um negócio apresenta sustentabilidade empresarial, indo além da questão financeira.

Origem do cadastro:
*|HTML:ORIGEMERROR|*
Quer estar atualizado sobre o mundo dos investimentos antes de todo mundo? Faça parte da nossa comunidade!
*|HTML:EMAILERROR|*

Por que ESG é tão importante?

Embora esteja sendo mais discutida recentemente, sustentabilidade não é apenas uma palavra da moda, é uma questão de sobrevivência e uma necessidade humana. Por isso, ESG é um movimento sem volta, uma realidade que veio para ficar.

A necessidade de mudança para um mundo mais sustentável a longo prazo tem motivado a criação de novos produtos financeiros, focados em empresas reconhecidas por realizar políticas internas que sigam os princípios ESG.

Empresas gigantes do mercado já estão tomando inciativas em direção às melhores práticas nesse sentido e preocupações com o tema também já passam a ser o foco dos grandes gestores.

Muitas pessoas refletem sobre esses valores ao decidir onde consumir e quais empresas apoiar. Além dos consumidores, os investidores também têm preferido optar por negócios que sejam engajados em causas ligadas à sustentabilidade.

Mas esse movimento vai além. Guiar-se por fatores ambientais, sociais e de governança não significa renunciar à rentabilidade. Pelo contrário, nos últimos anos, os investimentos ESG têm ganhado atenção também por conta de seus retornos financeiros.

Cada vez mais, os investimentos ESG têm apresentado boas possibilidades de retorno. Isso porque as empresas que seguem a proposta também conseguem resultados financeiros interessantes.

Em 2020, por exemplo, o total aplicado chegou a 250 bilhões de dólares. Só os Estados Unidos já correspondem a 20% da participação, com um crescimento de 400% nos últimos 3 anos. Em relação à rentabilidade, mais de 60% dos fundos ESG americanos tiveram resultados acima da média. O percentual é menos da metade nos fundos tradicionais. Já no Brasil, o desenvolvimento é um pouco mais tímido, mas também está acontecendo.

Como surgiram as práticas ESG

Por volta de 2007, surgiram os primeiros green bonds, opções de investimento verde em que títulos eram emitidos e captavam recursos visando a melhorias ambientais e de qualidade de vida às comunidades em que as empresas emissoras eram inseridas.

Alguns exemplos são projetos que visam à redução de emissão de carbono, transição para energia de fontes renováveis e gestão responsável de resíduos na economia global. Em muitos desses casos, os títulos verdes são debêntures com esse foco em desenvolver projetos sustentáveis nas empresas.

Origem do cadastro:
*|HTML:ORIGEMERROR|*
Quer estar atualizado sobre o mundo dos investimentos antes de todo mundo? Faça parte da nossa comunidade!
*|HTML:EMAILERROR|*

Quais as vantagens em investir em ESG?

Analisar as vantagens dos investimentos ESG não é restrito apenas a pessoas com certo interesse em questões socioambientais. Devido às mudanças climáticas e agravamento de problemas relacionados ao meio ambiente, essas causas já são mais que fundamentais para garantirmos nossa sobrevivência e bem-estar a longo prazo.

ESG é uma escolha estratégica para o portfólio de investimentos e tem crescido em todo o mundo, com cada vez mais modalidades surgindo. Ou seja, pode-se dizer que é uma alternativa perfeita para combinar desenvolvimento econômico e sustentabilidade.

Mas, para saber se o investimento lhe faz sentido, você deve ter em mente seu perfil e objetivos. Afinal, ESG de modo geral envolve renda variável, o que pode representar maiores riscos.

Como investir em ESG?

Existem cada vez mais alternativas para quem deseja ter investimentos sustentáveis. Por exemplo, é possível investir por meio de fundos e de ETFs (Exchange Traded Funds).

A sua principal estratégia deve ser contar com o apoio de uma instituição sólida, que poderá analisar as opções mais interessantes na Bolsa e na renda fixa, nacional ou internacionamente, conforme seu perfil e objetivos, sempre focando empresas ou ativos de empresas adeptas aos critérios ESG.

Origem do cadastro:
*|HTML:ORIGEMERROR|*
Quer estar atualizado sobre o mundo dos investimentos antes de todo mundo? Faça parte da nossa comunidade!
*|HTML:EMAILERROR|*

Como funcionam os fundos ESG?

Para ficar mais fácil definir se os fundos ESG são a alternativa mais adequada ao seu perfil, você precisa ter uma noção de como eles funcionam. Vamos lá?

Seleção das empresas

Conforme já visto, a principal característica do ESG é a escolha das empresas que recebem seus investimentos. Para isso, o gestor faz uma análise completa dos negócios, inclusive considerando o cenário externo, como ações de sustentabilidade.

Aporte de recursos

Assim que as empresas são selecionadas, acontece o aporte dos recursos coletivos em ações dessas corporações, sempre buscando um equilíbrio entre o aproveitamento de oportunidades e a mitigação de riscos.

Distribuição de rentabilidade

Com a realização dos investimentos, os cotistas têm o direito a participar dos ganhos, distribuídos ou reinvestidos de acordo com as regras de cada fundo de ações.

E você, interessou-se por essa nova “onda verde” nos investimentos?

O tempo de explorar inconsequentemente os recursos do planeta acabou. Agora você tem a oportunidade de explorar os ESGs e se tornar um investidor consciente.

Continue ligado no Poupador Inteligente para se informar cada vez mais sobre essa tendência financeira e um tema tão fundamental para o futuro da humanidade.

Origem do cadastro:
*|HTML:ORIGEMERROR|*
Quer estar atualizado sobre o mundo dos investimentos antes de todo mundo? Faça parte da nossa comunidade!
*|HTML:EMAILERROR|*
Equipe de conteúdos
Publicado em Maio de 2021
Ficou com alguma dúvida quanto ao conteúdo ou gostaria de fazer algum comentário? Sinta-se livre para deixa-lo(a) abaixo!

Continue lendo

Se gostou desse conteúdo, com certeza também gostará destes:

Outubro, 2020 O que é e como lucrar com o Long & Short

Aprenda tudo sobre essa estratégia de operação de ações e diversifique ou proteja seus investimentos!

Setembro, 2020 Investimentos e seus impostos: Renda Variável

Nos investimentos em renda variável, você é o responsável pelo pagamento dos impostos. Fique por dentro!

Março, 2020 Como escolher um investimento – parte 1: objetivo e risco

Guia: saiba qual tipo de investimento é o mais adequado para você!


Outubro, 2020 O que é e como lucrar com o Long & Short

Aprenda tudo sobre essa estratégia de operação de ações e diversifique ou proteja seus investimentos!

Setembro, 2020 Investimentos e seus impostos: Renda Variável

Nos investimentos em renda variável, você é o responsável pelo pagamento dos impostos. Fique por dentro!

Março, 2020 Como escolher um investimento – parte 1: objetivo e risco

Guia: saiba qual tipo de investimento é o mais adequado para você!